Tenho um problema sério em relação ao meu humor. Desconfio que eu esteja sofrendo de estresse, pois tenho sentido alguns sintomas ultimamente, e universo-natural-atendimento-terapc3aautico-raivadevido a enxaqueca, às vezes preciso tomar cinarizina que, além de dar um sono violento, altera o humor. Bom, eu não ataco as pessoas, mas passa cada coisa pela minha cabeça. Auto-controle é a chave. Mas ô chavezinha ruim de achar, Jesus! Uma das coisas que mais de deixa com vontade de arrancar a cabeça das pessoas é falta de bom senso. Eu detesto gente que fala demais. Uma coisa que me irrita demais são pessoas querendo resolver minha vida sem ter ideia do que eu estou passando. Se você não sentiu a dor da pessoa, não se ache no direito de abrir a boca. A bíblia diz em Provérbios 17.28 que até o tolo é tido por sábio quando se cala. Exitem três frases que me fazem perder o respeito por qualquer um, já briguei até com minha mãe: “Você não pode ser assim!”, “Você está errado!” e a pior de todas, “Você TEM que mudar!”. Eu acredito que sou livre para ser o que eu bem entender da minha vida e ninguém tem nada a ver com isso, se eu estou errado quero argumentos e não acusações, até porque meu ponto de vista ainda vale mais para mim, e se alguém quer ver mudança em mim, que mude comigo! Outra coisa que me deixa deveras irritado é gente abusada. Certa vez me convidaram pra sair, como eu tinha que trabalhar, agradeci o convite e disse que não poderia. A gentileza que ouvi de volta foi: “Poxa, mas eu te convidei por causa do carro!” Fiquei com vontade de arrancar as tripas do indivíduo e enforcá-lo com ela…

Este é o post menos inspirado que escrevi, como diria Homer Simpson, até agora. Mas é algo que me incomoda muito o fato de eu não ser uma pessoaheart in hand tranquila por dentro. Eu me irrito só de me irritar. E me irrito com facilidade. E me irrito por guardar tudo pra mim. E pior, não sou muito de dar segunda chance as pessoas, até porque não tive muitas na vida também. Alguém pode chegar com o discurso que devemos ser diferentes, não devemos nos basear na escala de valores alheios, que devemos ser superiores. Bom, acredito que só podemos dar aquilo que temos. Perdão custa cara. Pior ainda se for na comunidade religiosa. Ano passado saiu uma pesquisa que dizia que quanto mais religiosa a pessoa menos ela age por compaixão. Não vou entra em discussão de que existe diferença entre religiosos e cristão, porque eu discordo.  A Bíblia fala sobre a verdadeira religião; logo existe a falsa, que muita gente pratica. Mas religião não afasta ninguém de Deus. Enfim. Descobri que o amor na Igreja é pagão, principalmente entre estes que adotam a visão orgástica da Ana Paula Valadão (eca!). Eu oro para Deus me fazer alguém tranquilo. Eu não admiro gente grande. Eu admiro uma criança. Eu admiro muito quem sofre injustiças calado, eu admiro realmente quem vira a outra face. Graças a Deus que minha escala de valores é diferente. Tem gente que morre por uma celebridade, por ela passar uma imagem de superioridade. Eu não. E eu conheço gente famosa aqui na minha cidade. Eu NECESSITO urgentemente aprender a amar o meu próximo, a perdoar, e a dar uma segunda chance. Conheci um cara na faculdade que ele era bem popular, inteligente, conquistou tudo que propôs para vida dele. Uma vez ele me disse que eu tinha que ver as pessoas como objetos. Detalhe, ele é um cristão convicto, de pregar na igreja e seguir todo roteiro socialmente aceitável. Até concordei no momento, mas depois me perguntei se era assim que Deus nos via. Apesar de todas as minhas falhas, dificuldades e fraquezas, ainda sou um cara que luta pra chegar perto de Deus. Apesar de ser um carra irritadiço e com tendências anti-sociais, eu acredito sim que Deus vai me ajudar a mudar tudo isso, pois eu peço a Ele um coração tranquilo, e tranquilamente eu sei que vou alcançar.

Anúncios