Perfeição: s. f. o mais alto nível numa escala de valores, excelência no mais alto grau, grau máximo de bondade ou virtude. [lat. perfectio, onis ‘perfeição, complemento, remate’ deperfectus part.pas. de perficìo,is,féci,féctum,ficère ‘fazer inteiramente, acabar, terminar, perfazer; fabricar (com arte), aperfeiçoar’; familia margarinaver faz-; f.hist. sXIV perffeyçõ, sXVperfecçõ, sXV perfeicam, sXV perfeyção, sXVperfeiçoõens] (Dicionário Houaiss). É uma definição e tanto para uma palavra tão simples e que na prática é quase inexistente. Não tenho predicados para afirmar sua inexistência, apesar de, na prática, nunca tê-la encontrado. A vida em família pode ser um paraíso ou um inferno. A minha é um limbo. Já descrevi por alto em postagens passadas como era meu relacionamento com meu pai, mas nunca citei minha mãe, com quem ainda moro. Bem, vamos lá. Acredito que tenho uma mãe amorosa, que se preocupa em dar o melhor de si para sua família, alguém que teme a Deus de coração e com sinceridade, que ora e busca a Deus pela sua família dia após dia. O problema é a idealização da perfeição que ela espera das pessoas. Acredito que, seu eu não sou perfeito, não tenho direito nenhum de cobrar perfeição de ninguém. É claro, não vejo mal em querer ver as coisas correrem bem dentro de nosso lar, mas a bíblia fala da lei da semeadura, você colhe o que planta. E para universalizar ainda mais, o budismo prega o ‘karma’, em que tudo que você fizer volta lá na frente. Bem, eu fui criado na Igreja, ensinado a obedecer a Deus, as leis e meus pais. Foi neste último que eu me dei mal. Infelizmente não tive pais sábios. Entendamos da seguinte forma: inteligência é uma ferramenta; sabedoria é uma técnica. Você precisa de sabedoria para entender a inteligência. Não adianta ter informação e não saber o que fazer com ela. Meu pai era um cara extremamente inteligente, mas vergonhosamente tolo. Minha mãe, talvez pela pouca sabedoria em lidar com ele acabou se acuando. Ela sempre teve em mente a imagem da família perfeita onde todos se amam e se apoiam mutuamente sem esperar nada em troca. Já disse aqui em outro post que meu pai sempre me afastou das pessoas, por isso eu nunca tive amigos. Minha mãe endossou o pensamento dele. Ela vivia me dizendo: “Sua amiga e sua irmã, você não tem nada que ir atrás dos outros!”. Até hoje eu tenho resistência à minha irmã. Eu a amo, quero muito o bem dela, até porque ela é uma pessoa que sofre. Mas, mais uma vez a falta de oportunidade de fazer escolhas tirou minhas forças de fazer o certo.

sucesso-fracassoNesta manhã de domingo acordei sentindo-me tão mal e tão vazio, e infelizmente eu não posso contar com a compreensão da minha mãe. A velha ideia de perfeição fala mais alto. Acredito que o pior de tudo é você conviver com uma pessoa que não sabe respeitar seus limites e seus momentos. Minha família teve comércio e durante anos eu tive que trabalhar com eles. Desde os 10 até meus 27 anos. Escolheram para mim. Sempre quis viajar, conhecer gente nova, mas nunca tive oportunidade. Em 30 anos de vida viajei só quatro vezes, duas a trabalho, diga-se de passagem, e em uma estava doente. Quando fui fazer faculdade queria ter estudado publicidade e propaganda, mas ouvi um sonoro e peremptório NÃO! Sentei-me ao computador com minha mãe e fui ver a relação de cursos, e por livre e espontânea pressão escolhi Administração. Eu não me identifico com a área. Mas eu tinha que obedecer. Sabe qual o lado ruim de você ouvir conselhos? Se eles derem errado o conselheiro não vai arcar com as consequências por você. Hoje meu pai está morto, e eu tenho que arcar com as escolhas dele para mim. Eu não consigo arranjar emprego. Já passei em vários concursos, inclusive federal, mas nunca fui chamado, o que contribui para minha angustia. Sinto-me triste o tempo inteiro, vivo com um nó no estômago, e para completar, meu cabelo começou a cair. Mas tudo que eu tenho é alguém cobrando perfeição da minha parte. Preciso respirar! Talvez eu esteja com estresse. O sábio Salomão em Eclesiastes 7 diz que o dia da morte é melhor que o dia do nascimento. Devagar eu tenho desistido da vida. Uma amiga minha postou no Facebook certa ocasião que a vida é paradoxa, pois no instante em que você começa a viver você também começa a morrer. A morte é o complemento da vida. E a vida sem sabedoria em um encurtamento da jornada. O que mais me dói é que eu nunca fiz escolha nenhuma na minha vida e meu maior erro foi fazer a coisa certa. SOCORRO!

Anúncios