“O futuro já não é mais como antigamente” -Yogi Berra

futuro incertoPara alguns o futuro trás o esplendor de uma vida melhor. Para outros ele já é a concretização dos sonhos. Para muitos ele trás incertezas que os levam a correr o tempo todo atrás de algo que possa mudar este quadro. Para mim é uma eterna incógnita. O futuro muda a todo instante; não temos como decifrá-lo, muito menos como controlá-lo, mas podemos moldá-lo. Para mim o sinônimo de futuro é incerteza. Quando eu era mais novo eu imaginava uma vida comum, eu casado com meus filhos e um emprego estável ao lado de alguém que me ama e que sonha comigo. Ledo engano. De repente as coisas foram ficando sombrias e, de fato, hoje o futuro já não é como antes. Eu admiro muito aquelas pessoas que trabalharam e conquistaram tudo aquilo que propuseram para suas vidas, mas vamos confessar, é bem difícil de se prever onde estaremos daqui a dez anos, SE estivermos vivos. Planejar o futuro requer uma boa dose de arrogância que poucos conseguem trabalhar de forma consciente, afinal, quem pode realmente garantir que terminará o dia de hoje? Ninguém pode, e esta é uma ideia que deveria rondar a cabeça dos sensatos, o trabalhar não só visando o futuro, mas também o presente. Existe algo que pode paralisar o futuro de qualquer pessoa. Chama-se medo. O medo é natural em qualquer ser humano.  Ele coloca limites para que não cheguemos a níveis de autodestruição. Mas o medo pode tornar-se um veneno poderoso. E o medo causa uma morte lenta, dolorosa e paralisante. Ele acorrenta, prende e incapacita. O medo tem sido o grande inimigo de um futuro feliz na vida das pessoas, inclusive na minha.

O bom de você ter as rédeas da sua vida é o aprendizado que vem com os erros. Nossa, errar é muito bom para a construção do caráter. Ninguém gosta, mas a verdade é que dependemos do erro. Eu, infelizmente nunca errei. Obviamente, porque nunca fiz nada. Muitos podem me julgar que não fiz porque não quis, mas fato é que uma criança só aprende a andar se você soltá-la no chão. Eu fui criado em um regime de medo. Primeiro porque fui criado em tempouma igreja de ares provincianos chamada Assembléia de Deus. Eu não tenho nada contra a religião, mas tenho contra aqueles que a usam para manipular e impor o terror através da falta de conhecimento dos demais, e a igreja que frequentei por vinte e oito anos da minha vida é guiada por um tirano sem noção ainda nos dias de hoje. Para completar tive pais nada sensatos neste sentido. Meu pai particularmente me criou para temer. Ele controlou ABSOLUTAMENTE tudo em minha vida e, obviamente, eu não aprendi a andar. Conheço gente que lamenta não ter tido os pais, e que por isso tiveram que aprender a se virar desde cedo. Se você  meu leitor é uma dessas pessoas saiba que você ficou com a melhor parte. Eu queria ter tido pais sensatos que me deixassem errar, me deixassem escolher minha vida, que me deixassem ser livre para aprender. Tenho certeza absoluta de que não seria um medroso inveterado se eu tivesse liberdade em minhas mãos. E este medo está gradativamente me matando, lenta e dolorosamente. Eu temo o futuro. Ele me aterroriza dia após dia. Eu me sinto afogado em uma inaptidão, pois a única coisa que sei fazer é a que mais me desgosta. Eu vivo com um aperto no coração. Queria ter forças para me apegar com Deus, mas está força se esvaiu a muito tempo. Seja como for, ainda estou vivo. Enquanto há vida, há esperança. Que haja uma para mim…

Anúncios