felicidadeNossa, meus últimos dias têm sido de tirar o fôlego! Definitivamente, experimentei coisas que jamais pensei que experimentaria nesta ou em qualquer outra vida. Descobri que a vida pode dar voltas para todos nós, descobri o amor, descobri que posso ser correspondido no amor, descobri que posso amar outra vez… Namorei escondido no escuro de uma esquina qualquer, fugi, menti, fiz coisas que jamais pensei que fosse ser capaz. Descobri como sexo é bom, redescobri o carinho, redescobri a amizade, descobri a cumplicidade. Descobri a liberdade de cometer meus erros e de tirar lições destes. Descobri que o medo não precisa mais me dominar, descobri que quem faz a diferença sou eu, que errar não faz de mim um ser humano pior que os outros, muito pelo contrário, só me faz mais humano, como qualquer outra pessoa. Descobri a ambivalência pela vida…

Sobre esta gravura visite: http://fabiobaroli.blogspot.com.br/2011/07/sujeito-da-transgressao.html
Sobre esta gravura visite:
http://fabiobaroli.blogspot.com.br/2011/07/sujeito-da-transgressao.html

Paradoxo não? Tudo que tenho vivido tem sido libertador, mas reconheço que tenho transgredido muita coisa que eu acredito de fato ser verdade. Comecei a namorar um rapaz e ele tem sido alguém sui generis  em minha vida. Não tenho que reclamar dele, mas sinto-me ambivalente em relação ao estado atual da minha vida. Precisava tirar as conclusões acerca dos “grilos” que tenho comigo, e os pensamentos que tenho não são fáceis de lidar. Ainda sinto medo, não do meu presente, já que desta vez escolhi viver o que estou vivendo, mas sinto do futuro. Medo é algo definitivamente encrustado em mim. Será que Deus um dia vai perdoar tudo que tenho feito? Será que terei uma segunda chance na vida. Não quero que tudo isso seja um mero placebo, preciso de um remédio definitivo. A verdade é que não sei quais decisões seriam corretas hoje, apenas estou deixando a situação me levar. Tenho transgredido verdades que creio serem absolutas, não negarei, tem sido bom demais. Mas será que os frutos serão bons de fato? Só o futuro dirá. SE o futuro chegar para mim…

Anúncios