menina no campo weheartitLembro-me de quando iniciei o Exalando a Alma, como tinha tanto peso e tanta angústia dentro de mim, como vivia sentindo-me desesperançado em relação a tudo nesta vida, como muitas vezes sentei diante do notebook chorando, colocando para fora tudo que sentia no momento… Nossa, como muita coisa mudou do início até aqui. Uma das minhas últimas postagens falo sobre a Catarse (veja aqui), que é exatamente o que o Exalando a Alma representa para mim: meu exercício (sempre que possível) de catarse. Alguém que sabe quem sou disse-me certa vez que sentia-se deveras angustiado de ver como eu “rasgava minha alma” aqui. A blogosfera é um ambiente e tanto para interações fora de nosso mundinho, e tenho encontrado pessoas, não apenas nos cometários das postagens, mas também em outros canais de interação, que sentem-se tão angustiadas e desesperançadas como eu me sentia quando iniciei este blog. Meu blog já acumula visitas de mais de 30 países diferentes. Para quem mantém um blog a algum tempo isso pode não representar nada, mas para mim representa muito, pois jamais imaginava que sequer seria lido, que dirá alcançar tantos leitores… Não os conheço, não sei se são assíduos, mas se você estiver lendo esta postagem você tem meu agradecimento.

hope_wallChorar, se livrar do peso, rasgar a alma… Isto pode mudar e muito a vida de uma pessoa. Percebi como fui tornando-me mais impessoal, mais comedido em meus relatos. Não que a intenção do Exalando a Alma tenha mudado, mas eu mudei. Este exercício constante me ajudou a amadurecer os sentimentos e minha forma de ver as situações. Talvez possa não fazer sentido àqueles que leem o que escrevo aqui, mas para mim que iniciei este exercício em 15 de janeiro de 2013 percebo, dentro de mim, que algo maior aconteceu. Quando somos capazes de compartilhar nossa vida, alcançar pessoas que sentem-se como nos sentimos, entender e ser entendido, e, acima de tudo, não ser julgados pela nossa forma de encarar o mundo e nosso mundo, seremos libertos do fardo, ainda que lentamente. Não posso afirmar que esta mudança será perene. Tive provas de que a vida realmente da voltas e nunca saberemos onde estaremos daqui a alguns minutos, mas com toda certeza, o medo que tinha de viver está diminuindo, a dor esta mais suportável. Não quero que o medo e a dor desapareçam. Eu preciso deles. São meus amigos, aprendi a entendê-los, e sei que eles são minha proteção contra a autodestruição. A vida é uma algometria. Acredite, somos mais fortes que imaginamos!

Anúncios