Fosse o mundo um paraíso…

– paraíso de verdade! –

morrerias sem saber

o que é felicidade… –Mario Quintana

A dor é uma necessidade e as pessoas podem perder sua identidade e sua habilidade para protegerem a si mesmas se não a experimentam. – Dan Blazer, Ph.D

O sofrimento faz parte da vida de qualquer pessoa, seja em que grau for. Claro, muitos de nós jamais experimentaremos dores profundas como nossos irmãos dos países extremamente pobres da África, por exemplo. O Exalando a Alma tem recebido visitas de vários países, e já conseguimos cobrir os cinco continentes, então o contexto em que se encontram os leitores são os mais variados. Já recebi visita de países como Moçambique e Angola, que podem entender o contexto do sofrimento mais que os visitantes de países como Portugal e Estados Unidos, que depois do Brasil são meus maiores visitantes. Mas fato é que todos nós, ao longo da caminhada, experimentamos a dor. Seja da solidão, seja enfermidade, seja luto ou, pior de tudo, aquela tristeza aparentemente sem motivo que sentimos do nada e que nos deixa sem a menor ideia que como nos livrar dela, pois o vazio que ela carrega para dentro de nós parece impreenchível e nada do que fizermos sanará este mal… Há uma frase que diz: Quando Deus criou a luz nasceu a primeira sombra. Acredito que, se hoje conhecemos a alegria, é por causa da tristeza; se conhecemos o bem, é por causa do mal; só conhecemos o prazer por casa da dor.

Em uma conversa com um mestre da faculdade certa vez, ele me disse que para a filosofia, o homem também passa por uma metamorfose. O propósito da vida é a beleza, não a física, mas a beleza do engrandecimento do homem, e para isto ele atravessa os três estágios:

  • Larva: quando este homem e ignorante, não possuindo conhecimento algum que o eleve;
  • Casulo: quando este homem entra em um estado de reflexão sobre a vida e seus meandros;
  • Borboleta: quando este homem alcança o conhecimento e, principalmente, o autoconhecimento.

Infelizmente poucos alcançam o estágio final. A nossa cultura nega o sofrimento de uma forma tão absurda que chega a idiotizar as pessoas. O otimismo moderno prega que você jamais passará dificuldades na vida, principalmente depois do advento massivo de igrejas neopentecostais e do movimento carismático da Igreja Católica, mas o fato é que o verdadeiro otimismo passa longe disto. Otimismo é eu saber que vou ter problemas na vida, mas serei capaz de superá-los. Achar que nunca sofrerei só me deixará vulnerável. Olhar ao redor e fazer de conta que não tenho problemas não os sanará. Mas quando superamos nossa dor, a alegria torna-se inefável. É como um parto, você que é mãe sabe a dor de ter um filho, mas sabe que a alegria de trazer uma vida ao mundo é maior que qualquer sofrimento, e a recompensa dura uma vida inteira. Soframos sim, mas de cabeça erguida!

Anúncios