30-artigoSentir medo é normal. A insegurança tem nos causado muita aflição, e nos dias de hoje insegurança é um lugar comum a todos. Certo pensador frisou que nos tempos antigos a insegurança era apenas um momento na vida das pessoas, mas hoje ela se tornou perene. Caos nas ruas, violência, política sem credibilidade, inflação no topo da nossa paciência e tantos motivos para desistir. Os índices de doenças mentais como depressão, síndrome do pânico e fobias têm aumentado vertiginosamente. A vida está uma loucura. Soma-se a isso nossas histórias de traumas, feridas e frustrações, e a mistura fica perigosa. Eu tenho me sentido extremamente temeroso do meu futuro. Vivo em uma guerra constante entre meu cristianismo e minha homossexualidade. Querem saber de fato? Peguei nojo de ambos. Aos defensores da causa gay sinceramente me questiono como algo que pode ter me feito tão mal pode ser certo para mim? Aos cristãos (especialmente os pentecostais, de onde saí), quero saber o que faz vocês pensarem que têm o direito de maltratar as pessoas? Hoje, eu não me imagino entrando em uma igreja. Tenho criado cada vez mais ódio de evangélico, tenho nojo, muito nojo do chamado “gospel”. Perdi muito tempo tentando achar respostas pra tudo que enfrentei até hoje e a verdade foi que não achei motivo nenhum. Se Deus fez todas as coisas, então posso deduzir que Ele me fez. Se Ele me fez, e nasci gay (quer você concorde ou não, pouco me importa já que EU passo por isso então EU sei de um fato: ninguém escolhe ser gay, se nasce gay), por que tenho que ser condenado por ser gay? Não quero desacreditar na Bíblia, mas queria que ela fosse mais clara, porque ela definitivamente não tem resposta nenhuma pro que vivo.

DEPRESSÃO 2Outra grande frustração que tenho foi ter sido criado tão preso. Tenho ódio da minha história. Amo minha família, mas tem horas que queria dar uma surra em cada membro dela, incluindo meus pais. Podem pensar o que quiserem de mim, mas uma das poucas felicidades que tive foi ver meu pai morto. Descobri essa felicidade alguns anos depois que ele morreu, quando vi que ele não fazia falta nenhuma na minha vida, quando comecei a pesar meu relacionamento com ele e vi que tinha mas prós em não ter ele por perto do que contras. Não tenho prazer na morte dele, mas tenho na ausência. Aliás, um pai que não é amigo, um pai em quem você não pode confiar para contar seus medos e suas fraquezas, um pai que não é capaz de entender suas frustrações e seu temores não serve pra nada. Ele vivia esfregando na minha cara que me dava de tudo; o safado só esqueceu do que ele me privou. Esqueceu que sempre trabalhei ao lado dele desde criança (ora, ele era pregador na igreja, conhecia a Bíblia mas nunca lembrou que o trabalhador e digno do seu salário [Lucas 10.7]); gostava de jogar na minha cara que Bíblia mada os filhos respeitarem os pais, mas se esqueceu que em seguida a Bíblia manda os pais não provocarem os filhos, e ele me provocava constantemente. Se o inferno existe, espero que ele esteja lá. Se eu não nasci gay, ele me fez ser um. Era o crentão de igreja, mas era safado. Não podia ver um menino que passava a mão no pinto deles disfarçado de brincadeira. e claro, fazia o mesmo comigo. Cansei de pedir as coisas pra ele, e ele dizer que só ia me dar se eu deixasse ele passar a mão em mim. Isso pra mim tem nome: pedofilia.

luvia2Mas infelizmente a família toda defendia esse patife. E a família é evangélica. Tenho uma tia que adorava gritar pra mim que meu pai me dava tudo do bom e do melhor. É uma velha estúpida, tão estúpida quanto o pai que tive. Contei uma vez a minha mãe que sou gay, ela simplesmente se jogou no chão, chorou e hoje faz de conta que nada acontece comigo. Vive dizendo que tenho que casar e ter filhos e cada vez que ela me diz isso tenho vontade de meter a mão na cara dela. Sofro de estresse, já parei no hospital por causa disso, mas ela não entende. A última vez que fui ao hospital por causa do estresse ela ainda ficou chateada comigo. Diz apenas que eu tenho que me controlar. Eu quero, por Deus como eu quero acreditar que existe um paraíso, um lugar onde vou descansar de tudo isso. Mas se a Bíblia estiver certa eu estou destinado ao lago de fogo e enxofre. Não sei o que fazer. Tenho temor a Deus, não quero ir pro inferno. Tenho um vazio nesta vida, não quero ficar só. Só tenho um amigo, que é meu amante. Passei a vida sacrificando relacionamentos por medo de errar e no fim das contas os sacrifícios formas apenas pedaços do meu coração que não serviram pra nada, pois nenhum fruto foi colhido disso. Estou deprimido, queri morrer. Eu não vejo sentido na vida. Eu não sei pra que nasci. Francamente a vida é uma merda, odeio tudo que vivo, tudo que passei. O que era pra ser meu paraíso está ensanguentado de tanto meu coração se machucar. Só queria que tudo acabasse logo…

Anúncios