Relacionamentos humanos são difíceis, a gente tem que aprender a lidar com as limitações dos nossos semelhantes e nem sempre estamos preparados pra isso. É dolorido você amar alguém que lhe faça sofrer, mesmo que pequenos arranhões. Também temos que reconhecer quando somos nós que bancamos o espinho e provocamos a dor no outro, e essa é a parte mais difícil de todas, porque nuca queremos perder a razão, temos justificativas para não sairmos como vilões da história e também magoamos, ferimos e afastamos aos poucos. Eu faço isso volta e meia, e também sou vítima das dores que um relacionamento possa trazer. Entenda-se que quando falo relacionamento não me refiro apenas a namoro, mas a amizades, pais e filhos, irmãos, são todos igualmente complexos, mas cada um com uma demanda diferente. Eu não sei muito lidar com as pessoas, resultado do isolamento com que fui criado. Já tive pessoas muito próximas de mim e que hoje são completos estranhos, pessoas que parecem nunca sequer te sabido de minha existência. Têm pessoas que eu sei que trato melhor que meus familiares. Têm pessoas que eu abomino, tenho ânsia de vômito só de ouvir o nome e não, isso não é uma hipérbole, estou falando literalmente mesmo. Não deveria ser assim, mas vejo em mim o quanto é complexo você lidar com as diferenças dos outros. Parece que quanto mais gostamos de uma pessoa, mais nos decepcionamos com ela. Eu tenho um fardo e um arrependimento muito, mas muito grande, de não ser tão unido a minha irmã como eu queria. Acredito que pelo fato de meus pais não me deixarem ter amigos, sempre me diziam que era ela quem era minha amiga, era forçado a estar na companhia dela mesmo quando não queria, não tive meu espaço respeitado, isso me fez rejeitá-la um pouco. Amo minha irmã, me preocupo com ela, mas não consigo me abrir com ela, me sinto constrangido até de rir perto dela, isso me magoa profundamente e simplesmente não sei o que fazer a respeito. Me sinto ridículo, diminuído, me sinto um monstro por isso. Outra pessoa que sinto rejeição no meu coração é meu pai. A morte dele foi um processo complexo, senti no momento imediato a morte dele a dor do luto, mas hoje me sinto bem por ele não estar perto. Há dias que me sinto culpado por isso, outros reflito que ele mesmo provocou essa sensação que hoje me acomete. Meu Deus! Como eu queria saber resolver esse lado da minha vida. Sei o quanto relacionamentos podem nos afetar, e a mim afetam, e muito

gray_sadness_by_eresaw-d4oceeeExiste, porém, um outro lado nessa moeda, um outro contexto que difere de pessoa para pessoa. Sou cercado por algumas pessoas, poucas, mas há um condição que não muda em mim, que é a sensação de solidão que sinto. A solidão é uma condição humana, não há nada a ser feito, independe de você estar cercado de pessoas ou não, você se sente só por simplesmente saber que não tem muito com quem contar as horas de tristeza. Não tenho amigos que me visitem em casa. Muito raramente, coisa de uma ou duas vezes no ano, alguém vem aqui, mas no geral, chego do trabalho, me tranco no quarto, me engano com alguns grupos do WhatsApp achando que tenho alguns amigos sabendo que não tenho, e termino minhas noites no escuro do meu quarto imaginando como será minha vida e meu futuro, num caminho escuro onde não a luz alguma para me guiar. A fé na vida se esvaiu, a fé em Deus luta contra feridas mortais apesar de resistir, já não tem o mesmo vigor de antes. A solidão amarga a vida, cega os olhos da esperança. Queremos apenas alguém que se importe conosco, não com palavras, mas com atitudes e essa é a parte impossível, pois não há quem aguente por tanto tempo suportar o sofrimento dos outros. Mas quem somos nós para cobrar tal de outrem? Não seria isso egoísmo, afinal as pessoas também têm os problemas delas? As respostas podem até ser simples, mas é difícil enxergar quando você tem que manter seus olhos fechados de tanta dor, ou por estar num caminho tão escuro, que as trevas se tornam palpáveis…

Anúncios